| www.convencaosp.com.br | www.convencaosp.com | www.obrasilparacristosp.com.br | www.obrasilparacristo.com.br |

Vai tudo bem!

Texto base: 8 Sucedeu também um dia que, indo Eliseu a Suném, havia ali uma mulher rica, a qual o reteve a comer pão; e sucedeu que todas as vezes que passava, ali se dirigia a comer pão. II Reis 4.8

Vai tudo bem!

Quando ouvimos esta expressão, logo lembramos de uma mulher, que diante da perda e de um momento de profunda tristeza, abriu a sua boca para dizer, “Vai tudo bem”!

Sinto tranquilidade e fé, nessa expressão pronunciada por ela. Suas atitudes e palavras foram tão fortes, que marcaram a sua história, fazendo a diferença e até hoje esta frase ecoa em nossos ouvidos.

A bíblia não fala o seu nome, sabemos apenas que era de Suném, por isso chamada de sunamita. Suném quer dizer: “lugar de repouso”. Localizada a sudeste do mar da Galiléia, entre os montes Gilboa e Tabor, na planície de Jezreel, é herança da tribo de Isaacar.

Esta mulher sunamita nos ensina que, as vezes não devemos contar a todos a nossa dor. Tudo precisa ser falado a pessoa certa, no momento certo e ela estava bem consciente disso.

Que expressão linda! Quanta fé! Quem sabe se fosse uma de nós teríamos nos desesperado, ou outras até se revoltado contra Deus e seria até compreensivo se a sunamita tivesse agido dessa maneira, afinal de contas ela estava bem e até conformada com o fato de não ter filhos. Mas, o profeta Eliseu, grato a ela pela hospitalidade e cuidado, sentiu o desejo de retribuir, fazer algo em agradecimento e ficou sabendo através do seu moço que ela não tinha filhos, e seu esposo já estava velho, então orou a Deus e profetizou: No ano que vem por este tempo você carregará um filho no colo 4.16, e assim como ele falou, aconteceu, ela engravidou e o menino nasceu.

Alguns anos depois, no tempo da colheita, o menino esta no campo com o pai e é acometido por uma dor de cabeça, o pai manda um de seus trabalhadores traze-lo para mãe, acredito que, a sunamita como qualquer mãe, fez de tudo que pode para que aquela dor parasse. Quem sabe fez um chá, colocou folhas medicinais na cabeça do menino e nada deu certo e talvez em questão de horas ou minutos o menino estava morto, ali diante dela, nos seus braços.

Na visão humana, não era melhor ter ficado sem ter filhos e Deus ter poupado ela dessa dor? Por que Deus deu e levou tão cedo? Imagine os questionamentos que estavam na mente daquela mulher. Eu particularmente, acredito que ela precisava passar por este momento para nos ensinar a ter controle emocional diante da dor. Quanto equilíbrio! Quanta firmeza eu sinto nas suas atitudes. Talvez uma de nós não teríamos controle suficiente para fazer o que ela fez.

Outra atitude impressionante desta mulher é que em nenhum momento ela pronunciou que o filho estava morto, perceba que, ela recusou-se aceitar aquela situação. Não disse nada ao marido, era como se ela tivesse a certeza que o profeta iria interceder a Deus e ressuscitar sem filho, e quando o seu esposo quis saber o porque ela ia ao homem de Deus, ela disse: Vai tudo bem. Meu Deus! Quanto equilíbrio e segurança no que estava fazendo!

O profeta Eliseu, ao vê-la de longe, envia o seu moço até o seu encontro e pede que ele lhe pergunte: Vai bem contigo? Vai bem com teu marido? Vai bem com o teu filho? E esta mulher seguramente responde: Vai bem. Incrível! Não são simplesmente palavras positivas, que ela esta pronunciando, mas são palavras de alguém que não se deixa vencer pela realidade, pelas circunstancias, mas, vai além dos limites humanos, através da fé.

Também não falou nada ao profeta, mas quando chegou perto dele, ele sentiu que tinha grande tristeza na sua alma e ela se agarra aos seus pés e esta é outra lição que esta mulher nos dar; ela não foi embora, não largou o homem de Deus enquanto ele não foi com ela; Vive o Senhor e vive a tua alma, que não te hei de deixar. E ele teve que acompanhá-la. 4.30

Chegando lá Deus deu ao profeta Eliseu uma estratégia e trouxe de volta a vida do menino e aquela mulher recebeu do profeta o seu filho com vida.

Talvez você tenha um filho espiritualmente morto, que possa estar nas drogas, na prostituição, ou em qualquer outro pecado, longe de Deus. Essas são realidades e circunstâncias que precisamos enfrentar com fé e equilíbrio.

Acredite, Deus ainda ressuscita mortos! Abra sua boca apenas para abençoar e falar com a pessoa certa e não esqueça de dizer pela fé, Vai tudo bem!

Manter a fé e o equilíbrio nos leva a vitória!

Lucy Miranda

Lucy Miranda

Serva de Deus, Mora em Recife. casada com o Pastor Marcos Miranda, tem 2 filhos: Marcos e Dani e 3 netos. Autora dos livros "Reciclando a visão do trabalho com a UFEBRAC" e "Segredos de uma Esposa de Pastor".
Lucy Miranda
Lucy Miranda

Últimas Postagens por Lucy Miranda (ver todas)

Lucy Miranda
e-mail: lucygmiranda@gmail.com | Instagram: lucygmiranda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *