Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

A Falsa Sensação de Comunhão com Jesus!

1 Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. 2 E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz. 3 E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. 4 E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias. 5 E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o. 6 E os discípulos, ouvindo isso, caíram sobre seu rosto e tiveram grande medo.  Mateus 17.1-6

O monte da Transfiguração, Tabor, indica didaticamente o que significa uma falsa sensação de possuir uma comunhão com Jesus. Diante da apoteose proporcionada pelas coisas que Pedro, Tiago e João viram e ouviram naquele dia, ficaram tão perplexos pelo êxtase espiritual, que desejaram ficar ali para sempre. Propuseram, através de Pedro, fazerem tendas para repousarem naquela montanha.

Dois fatos indicam que eles não entenderam o que significa estar na presença de Jesus: esqueceram das suas responsabilidades e tiveram medo do sobrenatural.

O apóstolo Paulo determina que devemos nos apresentar a Deus para oferecer um culto racional, todavia a ênfase num culto sensitivo provoca uma embriaguez espiritual em muita gente. A presença de Deus nos torna mais responsáveis com nossas obrigações e também mais corajosos diante de desafios.

Eles não se importaram com os outros discípulos que não estavam lá, também não ligaram para a multidão  que precisa ser alcançada pela mensagem e pelas obras de Jesus. Apenas queriam curtir o momento! Quando estamos na presença de Jesus somos movidos corajosamente em direção a nossa missão e nos tornamos pessoas produtivas.

Ao descer do monte, voltaram à realidade e os discípulos se mostraram improdutivos, não puderam expulsar os demônios, pois tinham pouca fé. Jesus, que vive sempre na presença do Pai, desceu do monte e assumiu espiritualmente a situação e expulsou os demônios de um moço possesso, depois mostrou sua responsabilidade social ao pagar os impostos.

Quem vive na presença de Jesus não se esquiva de suas responsabilidades, antes age corajosamente para produzir frutos que glorificam a Deus.

Deixe seu comentário e compartilhe a mensagem, Deus abençoe.

Joel Stevanatto, Pr
Siga-me
Últimos posts por Joel Stevanatto, Pr (exibir todos)

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar também
Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

X