Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

Simplesmente Mãe!

E, partindo Jesus dali, foi para as partes de Tiro e de Sidom Mateus 15.21

Simplesmente Mãe! (Mulher Cananéia)

Imagine você a dor que é para uma mãe, vê a filha à quem deu a luz, que criou com tanto amor e carinho, a menina que protegeu; bastava um chorinho e ela corria para socorrer, amamentar ou tentar descobrir o que estava acontecendo.

Quando colocava essa menina para dormir, não saia de perto enquanto não observava bem ao redor de seu berço ou cantinho de dormir e tivesse a certeza que não tinha nenhum inseto por perto; e se tivesse, ai desse inseto, esta mãe pegava o chinelo e enquanto não matava esse bichinho que poderia vir a incomodar a sua menina ela não sossegava.

À protegia de tudo e de todos e curtia o seu crescimento. Cada queda lá estava a mãe para levantar ajudar e incentivar. Sonhava com cada aniversario, principalmente com os 15 anos, a formatura, um bom casamento, enfim, com um futuro abençoado, próspero. Essa menina cresce cercada de cuidados e amor. Mas, um dia um espírito maligno toma conta do seu corpo.

Quanto atrevimento! Entra no meio da família, rouba o corpo da menininha e brinca com a sua mente. Quanta covardia! Mas, isso é bem natural de Satanás; ele veio para matar, roubar e destruir. Agora, aquela menina não é mais a mesma. Onde está o brilho de seus olhos? Onde está o seu sorriso? Onde está sua inocência? Quem sabe aquela mulher se perguntava: Onde está a minha menina?

O espírito maligno que a tomou, faz a menina gritar aterrorizada, chorar e sorrir ao mesmo tempo, tenta talvez, jogá-la no fogo, na água, mas aquela mãe está ali, talvez dias e dias, noites e noites sem dormir direito, tendo muitas vezes de segura-la, para não perdê-la, tendo outras vezes, talvez, de amarrá-la e ficar ali horas e horas observando, chorando e declarando: eu quero a minha filha de volta! Ficava ali na esperança que ela iria dormir com o seu corpo cansado pela batalha espiritual e iria acordar liberta, mas… não era isso que acontecia. A realidade era cruel.

Embora a situação tivesse perdido o controle, ela estava ali para manter o controle. Existe algo Divino entre mãe e filho, uma ligação, uma força abençoadora. Nas mãos de uma mãe existe poder e unção de Deus, por isso eu acredito que, a sua presença intimidava o espírito maligno, por que aquela mãe transmitia fé, amor, cuidado. A vontade de ver a sua menina liberta era tanta, ela não se conformava com aquela situação. E tenho certeza que aquela mulher incomodava o inferno, atrapalhava os planos de Satanás.

Ela estava ali, enfrentando a realidade de sua vida. A dor, a aflição a luta era muito grande. Talvez alguns nem chegavam perto, com medo do espírito maligno, mas aquela mãe estava lá bem pertinho e dizendo com atitudes para o maligno: essa é minha filha! Embora sem saber o que fazer, lutava contra satanás. Com suas atitudes e suas mãos ela segurava aquela menina e dizia , você não vai levá-la!

Até que um dia talvez cansada de lutar, mas sem perder as esperanças, aquela mãe, soube que Jesus estava passando perto onde ela estava. Quem sabe amarrou, prendeu aquela menina em algum lugar, ou falou com um familiar, ou vizinho e ficaram segurando-a, não sei, só entendo que desesperadamente, aquela mulher pede ajuda de alguém e sai correndo, gritando, mas não era um grito qualquer, não era o grito que simplesmente sai dos lábios, era o grito da alma, era grito de uma mãe desesperada! Chegando perto de Jesus ela se joga se prostra adora e conta tudo para Ele e diz: “ a minha filha esta miseravelmente endemoniada ”.

Jesus a “ignora”, e ela poderia ter desistido ali, mas acredito que na verdade Ele estava consciente do que uma mãe é capaz, Com certeza ela teve uma mãe exemplar.

Jesus, a chama de cachorrinha, dizendo pra ela que Ele precisava primeiro atender aos filhos, se referindo ao povo de Israel, porque ela era gentia, e a resposta daquela mulher mexeu e agradou a Jesus.

Dá uma lição a todos ali presente do que é ter fé. Mostra que era capaz de qualquer coisa, de fazer tudo o que Jesus mandasse fazer, pela libertação da sua filhinha. E Jesus lhe diz: “ Ó mulher grande é a tua fé ”. Após a palavra final de Jesus, ela volta para casa e lá esta a sua menina, ela está liberta! Aleluia! o seu semblante é sereno, o seu olhar voltou a brilhar, ela estava assentada normalmente tranquila. Meu Deus, aquela mãe a abraçou e pensou; minha menina voltou!

Quanta alegria no coração daquela mãe e das pessoas perto. Havia festa naquele lugar! Havia jubilo! Aleluia! Jesus a libertou!

Quanta paz agora no coração daquela mãe. Enquanto ela viveu tenho certeza que sempre foi grata a Jesus por aquele dia!

A fé, a presença, a determinação, de uma mãe moveu a Poderosa Mão de Deus.

Você não precisa se culpar. Fique perto do seu filho ou filha, Ame, ore, persevere, profetize e seja simplesmente mãe. Deus faz o que nós não podemos fazer!

Lucy Miranda
Últimos posts por Lucy Miranda (exibir todos)

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar
Deixe um comentário

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

X