Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

Trocas inconsequentes esmagam a Comunhão

Trocas inconsequentes esmagam a Comunhão

10 Porquanto, passai às ilhas de Quitim e vede; e enviai a Quedar, e atentai bem, e vede se sucedeu coisa semelhante. 11 Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto não serem deuses? Todavia, o meu povo trocou a sua glória pelo que é de nenhum proveito. 12 Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o Senhor. 13 Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas  Jeremias 2.10-13

A Bíblia revela algumas pessoas que tiveram decisões erradas.

O filho pródigo abandonou a casa do pai onde tinha tudo que precisava, Marta preferiu os afazeres do dia a dia do que ouvir Jesus e Esaú desprezou a sua condição de primogênito e, depois de uma jornada cansativa, a trocou por um prato de sopa. Todos têm algo em comum: fizeram trocas inconsequentes.

O próprio povo de Israel resolveu trocar Jeová, que era uma fonte de água viva, pelos deuses de outras nações, os quais são comparados pelo profeta Jeremias a barris de água barrenta. Na verdade, quando fazemos trocas inconsequentes, trocamos mais do que aquilo que pensamos estar trocando.

O filho pródigo desprezou o amor do pai, Marta desfavoreceu Jesus e Esaú abandonou uma posição sólida na sociedade. Todos esses personagens foram movidos por ímpetos e não consideraram o todo da questão.

O rapaz deixou a casa do pai indo atrás de prazeres, Marta estava presa a uma rotina de serviços e por isso deixou Jesus falando sozinho e Esaú supervalorizou suas necessidades ao supor que morreria de fome se não tomasse aquela sopa.

Aprendemos nessas três histórias que viver em busca de prazeres, estar preso a rotinas estressantes e supervalorizar necessidades, são gatilhos poderosos para acionar escolhas inconsequentes.

Quando pensamos de uma forma mais ampla sobre o que é a vida humana percebemos que as pessoas acostumadas a fazerem trocas inconsequentes tem o habito de desprezar o que é eterno em favor do temporal. Valorizam o aqui e agora – atropelam a eternidade!

Na história do rico e Lázaro, o primeiro pediu clemência quando era atormentado no Hades e teve como resposta que “ … durante a sua vida (temporal) você recebeu coisas boas, enquanto Lázaro recebeu coisas más. Agora, porém, ele está sendo consolado aqui (na eternidade) e você está em sofrimento Lucas 16.25. O rico fez uma escolha inconsequente.

Joel Stevanatto, Pr
Siga-me
Últimos posts por Joel Stevanatto, Pr (exibir todos)
Você pode gostar
Deixe um comentário

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

Política de Privacidade
X