Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

Aprendendo a falar para Proteger a Unidade

Aprendendo a falar para Proteger a Unidade

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem Efésios 4.29

A necessidade de estabelecer uma conduta interna para proteger a unidade é um imperativo diante de um mundo hostil à igreja e à sua missão. Nosso maior problema não é a perseguição física ou ideológica que o sistema do mundo regido por Satanás impõe a obra do Senhor, antes nossa maior dificuldade está nos conflitos internos da igreja, causados principalmente pelo uso indevido da língua.

O apóstolo Tiago diz que o falar descontrolado e sem um propósito de edificação é como o fogo que pode acabar com uma floresta ou como um navio desgovernado.

A língua ferina, maledicente e impregnada de maldade é o cavalo de Troia da igreja! Cavalo de Troia é o principal símbolo da famosa guerra de Troia, usado como estratégia pelos gregos para derrotar os troianos. De acordo com a história narrada na obra Ilíada de Homero, o Cavalo de Troia era feito de madeira e totalmente oco por dentro. O guerreiro grego, Odisseu, teria tido a ideia de construir um gigantesco cavalo e presentar os troianos, como um gesto simbólico de rendição da guerra.

Os troianos aceitaram o presente e levaram o cavalo para o interior das muralhas de Troia. Todos os soldados beberam e comemoraram a rendição do inimigo e, quando todos estavam dormindo, centenas de soldados gregos saíram de dentro do cavalo e atacaram a cidade. Para ajudar a destruir os seus inimigos, os guerreiros liderados por Odisseu abriram os portões da cidade, possibilitando uma total invasão dos gregos em Troia, que foi totalmente destruída.

A partir desta história surgiu a expressão popular presente de grego, quando alguém está se referindo a algo que ganhou, mas que não será útil ou trará problemas.

Assim são aqueles que são recebidos na comunidade como verdadeiros presentes de Deus, pois sempre nos alegramos quando alguém entra na igreja. Todavia, com o tempo, tais pessoas trazem para fora e pelos lábios as suas sujidades e causam grande estrago à unidade e comunhão da igreja.

Que você não seja um presente de grego para sua igreja tornando-se um cavalo de Troia!

Joel Stevanatto, Pr
Siga-me
Últimos posts por Joel Stevanatto, Pr (exibir todos)

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar
Deixe um comentário

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

X