Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

Autoridade

Qual seria a civilização que sobreviveria sem o princípio da autoridade?

Ao olharmos uma grande construção de um arranha céu, podemos ver centenas de pessoas trabalhando, de diferentes níveis de cultura e padrão social, mas todas estão juntas e “coordenadamente” executam uma mesma obra ainda que em diferentes tarefas. Sem o princípio da autoridade seria impossível realizar tal obra.

Assim também a humanidade, com seus cerca de 7 bilhões de pessoas, divididas em diversos países, diferentes contextos sociais e formas de governo, estão de alguma forma organizadas e trabalhando pelo progresso da civilização.

No lar também podemos ver expresso o princípio da autoridade, do governo, assim como em locais de trabalho, escolas, igrejas e até mesmo em espaços públicos. A Bíblia nos ensina sobre a importância de nos submetermos à autoridade bem como a responsabilidade de exercermos autoridade.

Em algumas situações temos até a possibilidade de escolher os que exercem autoridade sobre nós, os nossos governantes, considerando nosso regime democrático expresso em nossa Constituição Federal em cujo preâmbulo inicia com a frase: “todo o poder emana do povo e para o povo”.

Oremos por todas as autoridades, para que exerçam o poder temendo ao Senhor dos senhores e ao Rei dos reis, agindo com justiça e equidade, preservando os direitos básicos que promovem a felicidade humana.

Em 1941 Roosevelt, então Presidente dos EUA, diante de uma guerra que seria travada em defesa das liberdades e contra o nazismo, citou em um discurso o que considerava os 4 pilares para o progresso da humanidade, quais sejam:

  1. Liberdade de Expressão
  2. Liberdade de Culto
  3. Liberdade do Medo
  4. Liberdade da Miséria

Os dois primeiros são muito óbvios, já a “Liberdade do Medo” se refere a não estarmos sob um governo opressor, controlador, que prenda ou prive pessoas de direitos Constitucionais gerando terror nas pessoas.

Liberdade da miséria significa igualdade de oportunidades para não sermos condenados a viver de esmolas do Estado, tais como cartões de alimentação e racionamentos, mas obter meios dignos de sobrevivência, e isso se daria por meio do progresso econômico com liberdades de empreendimento à toda a população.

Isso resume bem algo que se relacione a Direitos Humanos Universais e é algo perfeitamente compatível com justiça social que encontramos nas Escrituras e coaduna com o cristianismo.

Exerçamos com sabedoria e responsabilidade o “poder” do nosso voto, que em um país democrático como o Brasil, decide o futuro da nossa nação. Não coloquemos no poder candidatos ou partidos, que queiram tolher as liberdades mencionadas.

O Brasil é uma benção, se preservarmos nossas liberdades, mas precisamos orar e também “votar” conscientemente, não esqueçamos disso.

Orem pelos reis e por todos os que têm autoridade, para que possamos viver uma vida calma e pacífica, com todo o respeito a Deus e agindo corretamente I Timóteo 2.2

Tenham um excelente dia e se desejar deixe seu comentário abaixo.

Profile photo ofPr Daniel Ferreira
Últimos posts por Daniel Ferreira, Pr (exibir todos)

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar
Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

X