Feliz é a Nação cujo Deus é o Senhor

Congresso Nacional vai corrigir equívoco do STF sobre aborto

O deputado federal Roberto de Lucena, PV-SP, membro da Bancada Evangélica, está confiante de que o Congresso Nacional vai reverter a decisão do Supremo Tribunal Federal – STF, sobre o aborto. “Não tenho dúvida de que vamos corrigir este equívoco cometido pelo STF nesta comissão especial que será instalada pelo presidente Rodrigo Maia, que acolheu nosso apelo”, afirma o parlamentar, lembrando que todas as propostas de legalização do aborto já apresentadas na Casa foram rejeitadas.

Para Lucena, mais uma vez o STF invadiu uma competência que não é dele, que a de legislar. “Não é razoável que três juízes, que não receberam votos, que não representam o povo, decidam sobre um tema polêmico, complexo e que divide a sociedade brasileira, mas não divide em partes iguais, pois a parte maior é a que é rejeita o aborto e defende a vida”, afirma o parlamentar paulista.

A comissão especial irá analisar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que trata sobre licença-maternidade no caso de bebês prematuros, mas a criminalização do aborto a qualquer tempo da gestação deverá ser incluída na pauta. A criação da comissão foi uma retaliação da Câmara à decisão da maioria da Primeira Turma do Supremo, que considerou que a interrupção da gravidez até o terceiro mês de gestação não configura crime.

A decisão do colegiado revogou em, 29/11, a prisão preventiva de cinco médicos e funcionários de uma clínica clandestina de aborto no Rio de Janeiro. Apesar de valer apenas para o caso específico, a decisão abre um precedente na mais alta Corte do país para a descriminalização do aborto, evitando que mulheres ou médicos que realizam o ato sejam presos.

O artigo 124 do Código Penal prevê prisão de um a três anos para quem aborta de propósito. Só há três casos em que o aborto provocado é legal: quando não há meio de salvar a vida da mãe, quando a gravidez resulta de estupro e quando o feto é anencéfalo.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, mais de 8,7 milhões de brasileiras com idade entre 18 e 49 anos já fizeram ao menos um aborto na vida. Destes, 1,1 milhão de abortos foram provocados.

Fonte: Texto e fotos por Assessoria de Imprensa do Pastor Roberto de Lucena

Roberto de Lucena, Pr

Obtenha atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Você pode gostar
Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

O Portal da Convenção usa cookies para melhorar sua experiência de navegação. Se estiver de acordo com isso, basta aceitar. ACEITO

X